Menu
Página Inicial
História
Atendimento Doador
Doação de Sangue
Exames Realizados
Sangue
Nossa Empresa
Curiosidades
Mitos
Fique Sabendo
Convênios
Hospitais
Fale Conosco

Nossa Empresa

 
Total:06
1. Recepção

     Constituído por 2 funcionários, que preenchem a ficha de doação com todos os dados de identificação, filiação e endereço do doador. Esse processo está informatizado, o que torna possível verificar se o doador já faz parte do nosso cadastro ou ainda está relacionado no Cadastro de Doadores Impedidos Definitivamente (CDI). O doador recebe um ficha contendo o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido sobre a doação de sangue, que deve ser lido, enquanto aguarda a chamada para o consultório onde será feita a entrevista de triagem.
 
    Neste setor também é iniciado com o recrutamento do doador, seja através da doação de reposição por parte de familiares e amigos ( reposição do sangue já transfundidos), seja por doação espontânea (doação voluntária decorrente do trabalho de conscientização sobre o processo) ou ainda por convocação dirigida (em função da necessidade específica de um hemocomponente ou grupo sangüíneo). A reposição do sangue é necessária porque o sangue não é objeto de comercialização sendo o pagamento feito pela prestação de serviços, exames e materiais descartáveis usados no processo.

 
Fechar
2. Triagem

     Este setor está sob a responsabilidade do médico, sendo constituído por 3 médicos e 1 enfermeira. A entrevista e a avaliação clínica são essenciais para garantir a segurança na doação. O doador deve usar de toda franqueza e honestidade nas suas informações. A entrevista é confidencial, resguardada pelo sigilo profissional e o mais absoluto respeito. O médico ou a enfermeira recebe a ficha de doação e realiza uma avaliação clínica e hematológica do doador, onde são analisados sinais vitais, dosagem de hemoglobina / hematócrito, anamnese clínica, comportamento sexual e social para que a doação seja um ato seguro tanto para o doador quanto para o paciente que irá receber a transfusão de sangue.
 

    Se o doador for considerado apto para a doação, deverá aguardar a chamada para entrar na sala de doação.

 

    O doador, que por algum motivo não pode realizar a doação, recebe os esclarecimentos quanto ao seu impedimento e, quando necessário, é encaminhado para outro Serviço.

 

    O Setor de Triagem também é responsável pelo atendimento aos doadores soropositivos, esclarecendo-os quanto ao significado do resultado de exame positivo, do seu impedimento para doações futuras e encaminhando-o para consulta especializada.
 
Fechar
3. Coleta

    Com capacidade para atender 6 doadores simultaneamente, possui equipamentos, materiais e funcionários (3 Auxiliares de Enfermagem sob a supervisão da Enfermeira) que garantem o conforto e segurança do doador e qualidade técnica do Serviço prestado. Nessa etapa do processo, todo o material utilizado é descartável e previamente identificado com os dados do doador através do programa de informatização. Nessa etapa, são produzidas etiquetas de código de barras com identificação do número da unidade hemoterápica coletada, tornando possível o rastreamento da unidade que posteriormente será transfundida. O sangue é coletado em bolsas múltiplas, sendo o volume pré-determinado no Setor de Triagem. O sangue coletado, devidamente identificado, segue para o Setor de Fracionamento e amostras para os Laboratórios de Sorologia e Imunohematologia.
 

    O funcionário confere sua identificação e faz a coleta de sangue, que tem duração de 5 a 10 minutos.

 

    O doador, após o repouso necessário e orientado sobre os cuidados a serem tomados após a coleta, é encaminhado à Sala de Lanche, onde recebe o alimento e permanece por mais alguns minutos, tendo neste momento, a oportunidade de opinar sobre o atendimento recebido. Este lanche é gratuito, e ajudará o doador a recuperar mais rapidamente o sangue que doou. Nessa sala, o doador desfruta de um ambiente agradável e continua a ser assistido pela enfermeira.

 

    No Setor de Coleta, ainda consta uma Sala de Recuperação, para que possa ser atendido o doador que teve alguma reação durante ou após a coleta.
 
Fechar
4. Fracionamento

    Sangue coletado (Unidade Hemoterápica), será processado e serão produzidos hemocomponentes, como: Concentrado de Hemácias, Plasma Fresco, Concentrado de Plaquetas e Crioprecipitado.

    SETOR DE FRACIONAMENTO: trabalha com 1 Técnico em Hemoterapia sob supervisão da Bioquímica; possui centrífugas refrigeradas e equipamentos que permitem obter e armazenar todos os componentes com qualidade e segurança necessários a este procedimento.

 

    A unidade hemoterápica, vindo do Setor de Coleta, de acordo com o tipo de bolsa, tempo de fluxo e volume coletado, é fracionada em componentes, inicialmente em computador, que emite uma segunda etiqueta de código de barras de acordo com a etiqueta pré-determinada no Setor de Coleta.

 

    O Concentrado de Hemácias é armazenado em refrigeradores bloqueados; os Plasmas e Crioprecipitados em freezers bloqueados; o Concentrado de Plaquetas, em Plaquetamix bloqueados, que mantêm a agitação constante na temperatura de 20 a 24ºC. Os refrigeradores e freezers possuem registros de controle de temperatura a cada 4 horas.
 
Fechar
5. Liberação

    Após receber a planilha dos resultados do Setor de Sorologia e Imunematologia, faz a liberação do estoque bloqueado para o estoque liberado. Esse setor é de responsabilidade das bioquímicas e biólogas que, através do leitor de código de barras, fazem a checagem das etiquetas do fracionamento e da coleta e, quando apresenta todos os exames negativos, emite a etiqueta definitiva onde constam os seguintes dados: nome e número da unidade hemoterápica, grupo sangüíneo, data e hora da coleta, validade, anticoagulante, volume coletado, volume do componente, tipo de doação e resultado dos exames sorológicos.
 

    Este trabalho de rotulagem e liberação é realizado por 2 bioquímicas / biólogas, em que uma faz a etiquetagem e outra checa as etiquetas produzidas com a etiqueta vinda do Setor de Coleta.
 

    
As unidades hemoterápicas que apresentam sorologia positiva são descartadas, conferidas com a planilha de descarte e então enviadas ao Expurgo para serem autoclavadas e posteriormente destinadas ao lixo hospitalar.
 

    
O estoque, após ser liberado, já pode ser utilizado pelo Setor de Transfusão.
 
Fechar
6. Transfusão

     Trabalha com 10 Técnicos em Hemoterapia, sob a supervisão de bioquímicas / biólogas para a execução dos testes pré-transfusionais e posterior transfusão. Além da agência Central o setor possui ainda 3 agências transfusionais localizadas nos hospitais com fluxo maior de transfusão com objetivo de agilizar o atendimento transfusional.
 

    Os testes pré-transfusionais realizados são: grupo sangüíneo ABO/Rh, pesquisa e identificação de anticorpos irregulares, prova cruzada e retipagem da bolsa quando for transfusão de Concentrado de Hemácias e Sangue total.

 

    Todo o procedimento é supervisionado pelos 3 médicos que permanecem em sistema de plantão 24 horas para prestar assistência adequada e com qualidade. Cada etapa envolvida na terapia transfusional possui registros próprios que permitem o rastreamento de todo o procedimento e técnico responsável.
 
Fechar
Link's Úteis
Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Ministério da Saúde
American Association of Blood Banks
Organização Mundial de Saúde
Associação Médica Brasileira
Programa Nacional de DST e AIDS
Serviço de Hemoterapia Dom Bosco Ltda - Av. Cidade de Leiria, 374 - 87013-280 - Maringá - PR - Fone/Fax: (44) 3262-8100
Melhor visualizado em 1024x768 - Internet Explorer 5.0 ou superior